Homenagem ao “Centenário de Hermilo” em João Pessoa – PB (2)

 

CONTOS, de Hermilo Borba Filho

– relançamento da CEPE em João Pessoa

 

Durante a Manhã Paraibana e a Tarde Pernambucana, no Auditório 1 do Mezanino da Fundação Espaço Cultural José Lins do Rego – FUNESC, foram relançados, e permaneceram em exposição, exemplares destes livros de Hermilo editados pela Companhia Editora de Pernambuco – CEPE : SOL DAS ALMAS (romance), CONTOS, OS AMBULANTES DE DEUS (novela); e sobre HermilO : TPN – O PALCO E O MUNDO DE HERMILO  BORBA FILHO, de Luís Reis.

 

TARDE PERNAMBUCANA

          A administradora cultural Leda Alves, viúva de Hermilo e atual Secretária de Cultura da Prefeitura do Recife, iniciando as comunicações da Tarde Pernambucana, homenageou a memória da professora da UFPB e ensaísta Sonia Maria van Dijck, falecida há poucos meses, que  “com a sua visão privilegiada e muita competência, foi a grande pioneira dos estudos universitários sobre a vida e a obra de Hermilo realizados na Paraíba”.  Leda Alves enfatizou que essa homenagem a Hermilo, em João Pessoa,   era um feliz reencontro com amigos do escritor e dela, evidenciando que, com a passagem dos anos,  cresce, em admiração e fraterna  divulgação, o número de admiradores e estudiosos da realização literária e cultural de Hermilo.  “Ele sabia que ia ficar para semente”, afirmou. E destacou como a Manhã Paraibana  foi reveladora disso, com o testemunho de Neroaldo Pontes Azevedo, a leitura poética de Sérgio de Castro  Pinto, a abordagem crítica da professora e ensaísta  Geralda Medeiros  Nóbrega – que confessava, com entusiasmo, como a literatura de Hermilo havia conquistado o seu coração -, e a calorosa juventude da professora e ensaísta Josimere Maria Silva, com a admirável dedicação dos seus estudos e do seu doutorado sobre a obra de Hermilo.

          Esses paraibanos, acentuou Leda Alves, deram ainda mais sentido e valor às comemorações do Centenário de Hermilo em Pernambuco iniciadas em julho de 2017.

          O professor, ensaísta e dramaturgo João Denys (UFPE) reservou a sua comunicação exclusivamente para exaltar a importância do livro AGÁ, sétimo romance  publicado por Hermilo, considerado, na segunda metade do Século 20,  um dos livros que renovaram as letras nacionais de ficção, “obra inquieta  e artisticamente experimental”.  A edição de AGÁ, realizada pela Editora Civilização Brasileira (Rio de Janeiro, RJ), está esgotada desde o ano do seu lançamento em 1974.  Como destaca o professor e escritor João Denys, esse livro tem fascinado gerações e parece que nunca saiu de circulação.  Nele, Hermilo se recria em vários personagens, em uma narrativa múltipla, com uma linguagem delirante, nua, despudoradamente erótica.

          O professor João Denys tem influenciado, com os seus estudos sobre a obra de Hermilo, novos mestres de literatura e futuros “hermilianos” que ampliarão as descobertas  existentes no rico universo ficcional e teórico  de Hermilo Borba Filho.

0 Comentários

Deixe uma resposta