Homenagem ao “Centenário de Hermilo” em João Pessoa – PB

 

Hermilo Borba Filho

     Em uma Manhã Paraibana e uma Tarde Pernambucana, no dia 19/novembro/2018, a Homenagem ao Centenário de Hermilo Borba Filho em João Pessoa – PB viabilizou um encontro inédito de estudiosos e admiradores “hermilianos” de Pernambuco e da Paraíba, que reviveram, para o público presente ao Auditório 1 do Mezanino da Fundação Espaço Cultural José Lins do Rego – FUNESC, a importância do  escritor, professor universitário e diretor teatral pernambucano na vida cultural destes Estados-irmãos do Nordeste.

O Secretário de Cultura do Estado da Paraíba, poeta Lau Siqueira, recepcionou, com a equipe do seu Gabinete, os convidados locais e os visitantes pernambucanos, enfatizando que a homenagem a Hermilo criava um novo caminho para um intercâmbio cultural mais efetivo, e de diálogos construtivos, entre os dois Estados.

 

MANHÃ PARAIBANA

     Em síntese, inicialmente, o professor e escritor Neroaldo Pontes Azevedo fez questão de lembrar o seu tempo de estudante em Olinda, quando admirava, à distância, nos jardins do Seminário, os longos diálogos de Dom Marcelo Carvalheira com Hermilo e a companheira Leda Alves…  Eram três valores de projeção, na história contemporânea de Pernambuco, que lhe davam exemplo de fraterna convivência e respeito humano.

     O poeta Sérgio de Castro Pinto fez questão de deixar bem claro que não era um estudioso de Hermilo, mas apenas um leitor…  “Mesmo assim, o hábito de velho professor me leva a observar determinados recursos estilísticos na obra do ficcionista pernambucano: o ritmo da narrativa, os períodos quase sempre longos, a prosa poética de alguns dos seus textos”, assegurou, com a leitura da sua comunicação intitulada  Algumas anotações sobre Hermilo Borba Filho. 

   A professora universitária Geralda Medeiros Nóbrega confessa abertamente que a literatura de Hermilo mudou a sua vida, como estudante, mulher, mãe, professora.  Autora do livro Hermilo Borba Filho – Memória de resistência e resistência da história, publicado pela Editora da Universidade Estadual da Paraíba – EDUEPB (Campina Grande, PB, 2015), um expressivo estudo sobre a trilogia de contos publicada por Hermilo, a ensaísta assegura, na introdução intitulada “Desnudamento do texto hermiliano” : “Deduzo que as possibilidades de análise dos contos hermilianos são inexauríveis, pelo teor ambíguo e ambivalente, e pela gama de inovação, advindos de uma percepção de mundo que centraliza os vieses do estético como desdobramento de uma literatura comprometida com a vida.”

     Também professora e ensaísta, Josimere Maria Silva (pernambucana de Caruaru / Mestre de Literatura em Campina Grande, PB) é um exemplo da orientação segura e cativante que a professora Geralda Medeiros Nóbrega criou para candidatos a mestres e doutores de Literatura da Universidade Estadual da Paraíba.  Em sua dissertação do Programa de Mestrado – Escrita de Si, Memória e Testemunho em Margem das Lembranças, de Hermilo Borba Filho – , a jovem professora Josimere Maria Silva produz um estudo sobre o romance Margem das Lembranças,  primeiro título da tetralogia “Um Cavalheiro da Segunda Decadência” atualizando, com precisão, “a sua narrativa ficcional/confessional … em grande parte uma espécie de revisão de sua própria  história.”

     A professora pernambucana/paraibana confessa que o seu encantamento com a obra ficcional de Hermilo vai fazê-la avançar mais, nos seus estudos e no ensino universitário, pois deseja se comprometer com a orientação de novos universitários interessados pelo conhecimento e pela divulgação da obra de Hermilo Borba Filho.

0 Comentários

Deixe uma resposta